• notavelabrantes

Olhares | Igreja de Santa Maria do Castelo

30 de abril de 1733.



A 30 de abril de 1733, "morre nesta vila, de um acidente apoplético, o donatário e 1º marquês de Abrantes D. Rodrigo de Sá Almeida e Meneses, tendo por disposição testamentária ficado sepultado à entrada da igreja-panteão do Castelo (o seu coração seria depositado no túmulo do 1º conde).


Conforme nos lembra o seu epitáfio, fora comendador de várias ordens, censor da Academia Real da História (1720), e embaixador em Roma e Madrid por ocasião dos casamentos dos príncipes das duas Casas soberanas (D. José e D. Maria Bárbara, filhos de D. João V), tendo por esse cargo sido agraciado pelo rei de Espanha com o colar do Tosão de Ouro.


Do seu vasto currículo consta ter sido também gentil-homem da câmara d'el-rei D. João V e do seu conselho, vedor da Fazenda, governador das Armas da cidade do Porto, das fortalezas de S. João da Foz e de Nª Srª das Neves em Leça de Matosinhos, mestre de campo de Infantaria, posto em que serviu na Guerra da Sucessão de Espanha. Além dos senhorios de Abrantes e do Sardoal, detinha ainda os de Sever, Penaguião, Gondim, Fontes, Gondomar, Vila Nova de Aguiar de Sousa, Bouças, Gaia e a honra de Sobrado."


Fonte: "História Cronológica do Concelho de Abrantes - Da Pré-História a 1916"

Como chegar: 39°27'55"N 8°11'46"W


+ sobre Abrantes.


Acompanhe o Notável Abrantes no Facebook e Instagram!

0 visualização
Sobre nós

Aqui

 

2020 Criado por www.momentosdigitais.com